Vitrine Online, a melhor informação !

ESTACIONAMENTO DIGITAL – REPERCUSSÃO NEGATIVA FAZ PREFEITURA DE IBIÚNA REVER PROJETO

rua XV

A expansão da Zona Azul para mais doze ruas centrais da cidade, a partir da segunda-feira (25), além das duas que já estavam em vigor desde o dia 18 de dezembro – XV de Novembro e Pinduca Soares, onde se concentra o comércio – provocou uma intensa onda de insatisfação por parte dos munícipes.

A notícia veiculada pela revista vitrine online no sábado (23) foi acompanhada por milhares de pessoas, muitas das quais postaram comentários ácidos contra o novo serviço implantado por uma empresa contratada pela prefeitura de Ibiúna.

A repercussão da medida alcançou tal proporção que levou o secretário municipal de Indústria e Comércio, Luiz Norberto Silva, a reunir-se hoje (28) com os proprietários da Sebret – Sistema de Estacionamento Veicular do Brasil Ltda., empresa com sede no município de Araquari, em Santa Catarina, para estudar algumas mudanças.

Uma delas, segundo vitrine online apurou, mas não conseguiu confirmar, porque não obteve até o fechamento desta notícia, às 18 horas, nenhuma informação da prefeitura, apesar de ter feito solicitações via telefone e por e-mail, seria a retirada da lista da rua Raimundo Santiago (rua do Colégio Anglo), paralela à rua Pinduca Soares.

SURPRESA DESAGRADÁVEL

O repórter de vitrine online percorreu algumas ruas centrais onde vigora a Zona Azul na manhã de hoje, pediu esclarecimento para alguns monitores [são cerca de doze, no momento], conversou com funcionários da Sebret, no escritório da empresa instalado na rua Benjamin Constant, 161, no centro da cidade.

Pouco antes do meio-dia, Luiz Carlos Fogaça, morador no bairro Vista Alegre, teve uma surpresa desagradável, que pode estar ocorrendo também com outros munícipes [veja os comprovantes abaixo] Ele havia estacionado seu veículo – uma Fiat Ducato – na rua XV de Novembro exatamente às 9h56. Quando foi deixar o local, às 10h58, ou seja, dois minutos além da primeira hora de estacionamento, recebeu um “Aviso de Irregularidade”. Resumindo: teria que pagar R$ 15,00; R$ 3,00 equivalentes à primeira hora e aos dois minutos que a excederam e R$ 12,00, a título de crédito para uso futuro de 8 horas.

tiquete

O pior estava por vir. Se ele, por acaso não quisesse ou pudesse arcar com o novo valor, estaria sujeito à multa de trânsito no valor de R$ 53,00 + a perda de 3 pontos na carteira de motorista. Para evitar novos problemas deu logo os R$ 15,00 para o monitor.

É importante mencionar que não apenas o sr. Fogaça desconhecia esse fato, mas, certamente, a imensa maioria dos ibiunenses. O que para a empresa, segundo nos informou um de seus funcionários, essa “multa” objetiva incentivar o uso do procedimento digital, para o munícipe trata-se de um notório constrangimento.

Aparentemente, faltou um trabalho competente de comunicação e de esclarecimento prévio, claro e seguro aos usuários do novo serviço. É, também, oportuno lembrar que o Estacionamento Digital pegou de surpresa muitos moradores nas ruas próximas ao centro, que fizeram muitas queixas, já que até o momento o estacionamento era livre em todo o centro da cidade.

Embora também não tenha podido confirmar, cogita-se na cidade que, assim que voltar do recesso, a Câmara Municipal deverá tratar de assunto, como reflexo do descontentamento popular com a medida. Houve até mesmo quem dissesse que já  teriam sido feitas denúncias junto ao Ministério Público de Ibiúna.

ESVAZIAMENTO

Hoje, tanto pela manhã quanto por volta das 12 horas, era notório o esvaziamento das ruas centrais, deixando notar um grande número de locais de estacionamento vagos. Parece que parte da população preferiu escapar das áreas pagas e deixou seus carros em trechos não demarcados ou mais distantes, preferindo caminhar a pé até o centro. Na rua XV de Novembro, uma das duas mais movimentadas, era visível os espaços livres diante de muitas lojas.

ZONA AZUL

Com a área expandida do Estacionamento Digital o número de vagas para estacionar terá chegado a 550. A informação disponível no site da empresa www.estacionamentodigital.com.br informa que o projeto prevê um total de 750 vagas, com funcionamento de segunda-feira a sábado, das 9 até às 17 horas, por meio de tíquetes emitidos pelos monitores ou adquiridos em pontos de venda ou de forma digital.

O estacionamento é válido, no mesmo local, por duas horas no máximo. Moto paga R$ 1,00 por hora e automóveis, R$ 1,50. Não há período algum de tolerância. A partir de completada a segunda hora, o veículo deve, obrigatoriamente, ser transferido de lugar, sob pena de receber nota de irregularidade.

Ali também há a informação de que a Serbet participou do Edital de Concorrência Pública nº 07/2015 e que assinou com a prefeitura o contrato 131/2015. Nenhuma informação sobre a forma de destinação do total da arrecadação, o que vai para a empresa e o que vai para a prefeitura, foi fornecida para a revista, ainda que esta tenha feito a solicitação, tanto para a Serbet quanto para a prefeitura.

Uma estimativa simulada, pois nem sempre todas as atuais 550 vagas estarão preenchidas, estima-se que, se isso acontecesse ao longo de um dia, haveria uma receita bruta de R$ 825,00 por hora ou R$ 6.600, 00 por dia de operação plena.

O site da empresa informa que ela opera o sistema de estacionamento digital nos municípios de Ibiúna, Arujá, Itanhaém e Registro, no Estado de São Paulo; em Bombinhas, Curitibanos e Ituporanga, em Santa Catarina. (C.R.)

Comentários