PERSONA – ELE É UM DEFENSOR IMPLACÁVEL DA NATUREZA E DA SEGURANÇA PÚBLICA

Suas primeiras lembranças da cidade datam do início dos anos 1970, quando, ainda menino, frequentava o sítio do seu avô. Depois que se formou na universidade já tinha claro o desejo de morar em um lugar onde a natureza fosse maravilhosa.

“Esse lugar se chamava Ibiúna”, onde passou a morar em 1989, como filho adotivo e se tornou um dos mais notáveis defensores da natureza e da segurança pública no município.

Trata-se do engenheiro civil Marcelo Zambardino, 57, natural de São Pulo, que se autodefine como “uma pessoa que tem uma fé inabalável em Deus e que tem ciência de que com dignidade, respeito e trabalho é possível melhorar a vida da população”.

Ele é presidente do Conseg – Conselho Municipal de Segurança já por 4 mandatos sucessivos e um implacável defensor do meio ambiente, o que inclui a represa Itupararanga, tanto do ponto de vista da poluição quando do volume das águas, cujo nível acompanha diariamente.

Zambardino participa intensamente de um grupo social onde lança suas denúncias com ácidas críticas contra todos aqueles que, sobretudo em cargos públicos, agem em desconformidade com os mais caros valores éticos e morais. Para estes não faltam adjetivos pesados como “tranqueiras” e “picaretas”. Geralmente suas postagens são encerradas com a locução “Uma vergonha”. Um dos seus alvos mais constantes é a Sabesp, que tem a responsabilidade de tratar o esgoto no município, outros são os vereadores os gestores do Executivo.

DINHEIRO PÚBLICO

“Aprendi a interpretar o portal da transparência do município, o balancete receita/despesas que é enviado para Câmara Municipal e não entendo como a fortuna de dinheiro público que entra nos cofres da Prefeitura de Ibiúna enquanto cidade está tão maltrata e mal conservada pela Prefeitura. Além dos escandalosos gastos e desperdício do dinheiro que é da população, não dos políticos, e tudo isso é aprovado na Câmara Municipal, órgão que seria exatamente para não deixar acontecer isso e vendo cidades ao nosso redor onde entra menos dinheiro serem melhor cuidadas”, declara Zambardino.  Acrescenta:

“Quando digo ‘uma vergonha’ significa que o dinheiro que era para promover melhorias na cidade de Ibiúna e proporcionar qualidade de vida à sua população, infelizmente acontece completamente o contrário: a cidade de Ibiúna cada dia mais maltratada e não é por falta de dinheiro, mas por incompetência e irresponsabilidade político-administrativa.”

O que precisaria ser feito para consertar essa situação?

“Gastar o dinheiro público com responsabilidade e respeito para com a população e a cidade.”

Se você fosse prefeito, o que faria?

“Eu administraria a fortuna de dinheiro que entra nos cofres públicos de nossa cidade com respeito e dignidade para promover qualidade de vida à população e deixar Ibiúna da forma como ela merece: bem cuidada. E,  como vereador,  fiscalizaria o gasto do dinheiro público que nada mais é que obrigação do legislativo e divulgaria à população a vergonha de como é gasto o dinheiro sem qualquer tipo de responsabilidade e critérios técnicos.”

INSPETOR DE ENGENHARIA

Zambardino é inspetor especial do Conselho Federal de Engenharia – Confea e do Conselho Regional de Engenharia de São Paulo – Crea na região de Ibiúna. Nessa área sua função é apurar as denúncias de irregularidades nas condutas de profissionais de engenharia, irregularidades em tudo o que se refere à engenharia civil, tipo parcelamento de solo, construções irregulares, acidentes de obras, como um desabamento de uma construção e demais irregularidades.

Talvez, por isso mesmo, tenha um olhar de especialista crítico com as irregularidades que observa no município de Ibiúna.

“STAND UP PADLLE”

Morador em um condomínio numa margem da represa Itupararanga, Zambardino vive seus momentos de lazer praticando “stand up padlle” (SUP). “Um esporte que conheci através de leitura de revistas náuticas. Experimentei e me apaixonei, pois sempre gostei muito de esportes náuticos. Mas o SUP dá uma sensação de liberdade e paz espiritual que nunca tinha conhecido em esporte algum. Além de um exercício físico completo é uma interação mágica com a natureza e acabei realizando alguns eventos na cidade com mais dois amigos. Os resultados foram excelentes de público.”

Zambardino pronto para entrar na água

Carlos Rossini

Carlos Rossini é jornalista, sociólogo, escritor e professor universitário, tendo sido professor de jornalismo por vinte anos. Trabalhou em veículos de comunicação nas funções de repórter, redator, editor, articulista e colaborador, como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Diário Popular, entre outros. Ao transferir a revista vitrine, versão imprensa, de São Paulo para Ibiúna há alguns anos, iniciou uma nova experiência profissional, dedicando-se ao jornalismo regional, depois de cumprir uma trajetória bem-sucedida na grande imprensa brasileira. Seu primeiro livro A Coragem de Comunicar foi lançado na Bienal do Livro em São Paulo no ano 2000, pela editora Madras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *