IBIÚNA – ÔNIBUS DEIXAM RODOVIÁRIA E PASSAM A OPERAR NA RUA GUARANI NESTA SEGUNDA-FEIRA

A partir da madrugada desta segunda-feira (22) o embarque e desembarque de passageiros de ônibus municipais de Ibiúna e estaduais passam a ser feitos ao longo da Rua Guarani, localizada na região central da cidade de Ibiúna.

A administração e o comércio do Terminal Rodoviário, fechado neste fim de semana para reforma, funcionarão no prédio do Mercado Municipal, localizado na esquina da Rua Guarani com Vereador Benedito de Campos.

“A Guarda Civil estará presente no local para coordenar o trânsito e apoiar as ações necessárias para efetivar a mudança”, disse a vitrine online no começo da noite de hoje (21), o GCM Vagner Correa Cruzoleto, da Diretoria Municipal de Trânsito – Dimutran.

O novo secretário de Desenvolvimento Urbano da Prefeitura, ex-prefeito Fábio Bello, informou que às 9 horas da manhã deste domingo, todos os envolvidos participarão de uma reunião no local, a fim de ultimar as  providências relacionadas com os possíveis impactos das alterações no trânsito.  A direção da Rua Guarani passou a ter mão única da Avenida Fortunatinho para a rua Vereador Benedito de Campos.

Ainda neste fim de semana na Rua Guarani foram pintadas faixas de sinalização no lado direito da via, com a nova direção, onde os ônibus vão estacionar. O comércio formado por pequenas lojas e prestadores de serviços nessa faixa deverão ser beneficiados em decorrência do afluxo de passageiros que ou subirão ou descerão dos carros ou, ainda, ficarão à espera da chegada dos ônibus do seu destino. Os ônibus que não estiverem no horário de operação ficarão aguardando na margem da Avenida Antônio Falci (Marginal), como já vinha ocorrendo em relação ao terminal desativado.

Funcionários da empresa de ônibus ouvidos por vitrine online estavam apreensivos em relação ao início do serviço no novo local, prevendo que poderá haver desconforto para os usuários dos ônibus que, antes, de alguma forma, ficavam abrigados nas partes cobertas do Terminal Rodoviário.

Os comerciantes que vinham atuando no interior do Terminal Rodoviário deverão se mudar para os novos boxes no Mercado Municipal até a tarde deste domingo. Eles se encontravam em finalização de reforma neste sábado.

REFORMA, 34 ANOS DEPOIS

O Terminal Rodoviário de Ibiúna, que foi objeto de escárnio por parte dos seus usuários habituais e visitantes da cidade, devido à precariedade de sua estrutura, chegando a causar repulsa por sua sujidade e repugnância pelo mal cheiro dos seus banheiros, será finalmente reformado depois de 34 anos de sua inauguração, ocorrida no dia 24 de março de 1987, pelo então prefeito Zezito Falci.

Outras reformas foram anunciadas por governos anteriores, mas não chegaram nem mesmo a ser iniciadas, razão por que esse assunto caiu na boca do povo que passou a descrer nas promessas dos gestores locais. O dinheiro de uma das administrações, por não ter sido utilizado para a reforma, teve que ser devolvido ao Dadetur – Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo.

Vitrine online divulgou inúmeras noticias sobre o Terminal Rodoviário, em vários momentos, como em 27 de novembro de 2019 quando parte do seu teto veio abaixo, depois de uma tempestade ocorrida na cidade. O reparo demorou sete meses, período em que houve pelo menos duas grandes inundações em seu interior.

PREVISAO É DE 10 MESES

A reforma da Rodoviária deverá ser concluída em dez meses, talvez em setembro de 2022, a um custo de R$ 4,5 milhões de reais, parte com recursos próprios da Prefeitura e parte de emendas parlamentares, informou o secretário de Obras, engenheiro civil Kelvin Alves. Por contar com recursos federais, a obra deverá ser acompanhada pela Caixa Econômica. O projeto foi criado por engenheiros e arquitetos da Prefeitura, segundo o secretário de Obras.

A empresa vencedora da concorrência e responsável pela reforma será a MCJ – Ferraro Empreendimentos Ltda., com sede no município de Conchas, no interior de São Paulo. Seu proprietário é Márcio Sérgio Juliano Ferraro. A empresa atua no setor de construção.

Carlos Rossini

Carlos Rossini é jornalista, sociólogo, escritor e professor universitário, tendo sido professor de jornalismo por vinte anos. Trabalhou em veículos de comunicação nas funções de repórter, redator, editor, articulista e colaborador, como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Diário Popular, entre outros. Ao transferir a revista vitrine, versão imprensa, de São Paulo para Ibiúna há alguns anos, iniciou uma nova experiência profissional, dedicando-se ao jornalismo regional, depois de cumprir uma trajetória bem-sucedida na grande imprensa brasileira. Seu primeiro livro A Coragem de Comunicar foi lançado na Bienal do Livro em São Paulo no ano 2000, pela editora Madras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *