Vitrine Online, a melhor informação !

IBIÚNA – JOÃO MELLO ANUNCIA PROGRAMA “CORRENDO CONTRA O TEMPO – EMERGENCIAL” PARA COMBATER CONDIÇÕES DAS ESTRADAS

estradas

O prefeito João Mello anunciou ontem à noite (18) a implantação imediata do “Programa Correndo contra o Tempo – Emergencial”, um serviço de emergência para combater as péssimas condições das estradas do município de Ibiúna, agravadas com as fortes chuvas que vêm caindo nos últimos dias.

O chefe do Executivo disse ter assinado um termo aditivo com a empresa contratada pela prefeitura para fazer a manutenção das estradas, por meio do qual as máquinas alocadas passarão a ser operadas pelos funcionários concursados que estavam sem função porque as máquinas da municipalidade estavam quebradas e desativadas havia muito tempo.

A outra novidade é que a partir de março, quando as chuvas param, será desencadeado o funcionamento de comboios que atuarão em várias frentes simultaneamente, a fim de realizar obras de recuperação das estradas com a utilização das mais modernas técnicas para esse tipo de serviço. Os comboios contarão com pelo menos doze máquinas, caminhões de pedra, rolos de compressão e de compactação, a fim de assegurar melhores condições de tráfego para os munícipes na imensa área rural do município. Eis a entrevista.

Os problemas das estradas do município de Ibiúna são crônicos, mas nos últimos anos se agravaram notavelmente. O que o novo governo de Ibiúna está fazendo para combater essa situação?

Em relação às estradas nós sempre recebemos queixas na época de campanha, antes disso e posteriormente também. As estradas estão abandonada há muitos anos e a gente, andando na zona rural, percebe isso. As estradas estão péssimas. Qual a atitude nós estamos tomando? Eu sou uma pessoa que respeita contratos. Se existem contratos vigentes a gente vai fazer com que eles sejam cumpridos, rever seus valores – e sabemos que muitos dos contratos que existem são de valores além do necessário para determinados tipos de serviço, mas vamos fazer com que eles sejam cumpridos.

Qual a situação real da empresa fornecedoras de máquinas para a prefeitura?

Já existia a contratação de uma empresa que fornecia máquinas e os operadores de máquinas para cuidar das estradas. Nós levamos essas duas semanas na verdade negociando com essa empresa porque ela tem também um passivo, está há quase sete meses sem receber. Então estamos negociando com ela. Na realidade, não temos condições de pagar agora porque o impacto seria muito grande nas dividas correntes, isto é os investimentos e pagamentos dos funcionários. Nós acordamos com eles que vão começar a receber direitinho daqui para frente. Então, para diminuir o valor bruto do contrato a empresa passa a fornecer as máquina e elas passarão a ser operadas por servidores concursados da prefeitura. Eles estavam parados porque as máquinas da prefeitura estavam quebradas.  O serviço de locação trazia sua mão de obra e nós ficamos com os operadores sem fazer nada.

Quais são os pontos mais críticos que já começaram a ser atendidos?

Nós assinamos o contrato com o termo aditivo ontem (17), as máquinas já estão operando. A gente tem alguns pontos que são mais críticos, como Paiol Grande, Carmo Messias e a região do Verava que têm vários pontos que já foram incluídos nas prioridades. A gente sabe que a agora é um momento de emergência, pois no período de chuva não dá para fazer um trabalho adequado. Você passar máquina e jogar pedras ali a chuva que vem em seguida as arranca; mesmo que você passe o rolo não há tempo para a compactação. Então vamos fazer o trabalho emergencial dar uma nivelada, segurar o que for possível.

E o que será feito em seguida?

A partir de março, quando há um período de estiagem, e como já deu certo no passado, utilizaremos com a melhor técnica disponível, o sistema de comboios, que inclui máquinas, caminhões com pedra, rolo compactador. Nós conseguimos junto à Secretaria da Agricultura também um treinamento gratuito para os nossos operadores pela Codasp [Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo]. Então os técnicos virão para Ibiúna e darão treinamento teórico e prático com as técnicas mais modernas para conservação de estradas. Essas técnicas abrangem formas de empoçamentos de água para que ela seja absorvida rapidamente, escoamentos laterais da água, de maneira que não estrague o leito da estrada.

Prefeito, o senhor acaba de assumir o governo municipal, mas sabe das preocupações do povo dos bairros e da roça de Ibiúna com relação às estradas…

Quero deixar claro que, apesar de estarmos enfrentando sérios problemas por falta de recursos [os restos a pagar ultrapassam a casa dos R$ 40 milhões,grifo da redação de vitrine online], gente não está parado, embora possa parecer isso, porque as coisas podem ainda não estar visíveis, mas é como venho dizendo: a gente quer fazer as coisas certas, do jeito certo e na hora certa.

Essa perspectiva certamente inclui a situação das estradas

Peço que confiem e fiquem tranquilos. No plano emergencial nós vamos atuar de imediato. As máquinas já vão começar a correr. Além disso, nós vamos recuperar quatro máquinas da prefeitura e um caminhão. O custo total dessa recuperação, que a prefeitura já poderia ter feito, será de R$ 50 mil aproximadamente. Alguém pode pensar que é muito, mais se a gente pensar que cada uma dessas máquinas custa mais ou menos R$ 450 mil, fica fácil perceber a importância dessa medida para o município. Elas estavam paradas havia muito tempo. Vamos recuperá-las e colocá-las em serviço. Então nós teremos as máquinas locadas mais as máquinas da prefeitura, totalizando doze 12 unidades em operação simultânea. No período dos comboios, eles serão feitos em várias frentes, entre o fim de março e o começo de abril. De ontem (17, quando foi assinado o termo aditivo) para cá as chuvas foram muito intensas o que impediu de mexer nas estradas, mas o início da operação está em curso.

 

Comentários