Vitrine Online, a melhor informação !

ANP – ABASTECIMENTO APRESENTA MELHORAS, MAS DEMORA PARA VOLTAR AO NORMAL

Em entrevista na manhã desta terça-feira (29), no Rio de Janeiro, à Reuters [agência de notícias britânica fundada há 167 anos], o diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível – ANP, Aurélio Amaral, anunciou que o abastecimento de combustíveis apresentou melhoras pelo país com a redução do movimento de paralisação dos caminhoneiros.

Mas, segundo Amaral, a situação está longe do ideal e deve demorar pelo menos uma semana para voltar ao normal. E acrescentou:

“Dependendo da logística de cada lugar, volta ao normal em cerca de uma semana, mas em alguns lugares até mais de uma semana.”

CAOS

Há ainda muitos pontos em que a resistência em manter a greve persiste e divide os próprios caminhoneiros. Em São Paulo, proprietários de postos estão sendo ameaçados e alguns até, por isso mesmo, têm se recusado a receber combustíveis. As ameaças vão desde pessoais até a destruição de postos. Até mesmo caminhoneiros estariam sendo intimidados a não voltar ao trabalho, de acordo com noticiários televisivos.

Autoridades governamentais apontam a infiltração de pessoas estranhas ao movimento cujo interesse não seria mais as ofertas feita pelo presidente da República, mas sim visando sua derrubada e, também, ampliar a redução de preços para outros produtos.

Ladrões já vêm aproveitando para roubar gasolina de carros estacionados, fazendo buraco nos tanques e colhendo o combustível para revendê-lo a preço de ouro.

Começa também a tomar corpo a ideia de que o movimento [já que foram atendidas as suas reivindicações pelo governo federal] deva ser suspenso porque a situação chegou a um ponto em que os danos causados à nação excederam os limites de suportabilidade, com desabastecimento agudo de produtos e de prestação de serviços, especialmente na área da saúde pública.

Além disso têm se observado um nível de conflito com agressões física nas proximidades dos postos em vários pontos do país. Um manifestante chegou a ser ferido por tiros, mas já está fora de perigo. A polícia e o Exército têm feito escolta para assegurar tanto o abastecimentos dos carros-tanque nas distribuidoras quando nas estradas e nos postos.

No desespero, muitos populares têm tido comportamentos irracionais e agressivos com o objetivo de conseguir o combustível a qualquer preço. Em suma, muitos voltaram ao estado de selvageria e barbárie por conta da falta de derivados do petróleo.

Não custa dizer que, mais do que nunca, “é preciso ter calma nessas horas”, pois o problema será resolvido. Trata-se de uma questão de tempo, pois chegará um momento em que a população poderá se voltar contra o que apoiou, já que o ciclo de desabastecimento geral pode levar o povo à loucura e ao desatino.

Infelizmente, nessa hora, seria imprescindível que houvesse uma autoridade que merecesse crédito e confiança para ser acatada e respeitada pelo povo, mas, como temos observado, essa possibilidade parece nula, por notória falta de credibilidade e confiança na mais alta autoridade do Executivo brasileiro que se encontra no período final do seu mandato, já tendo perdido considerável apoio dos seus aliados no Congresso Nacional.

 

Comentários