Vitrine Online, a melhor informação !

ANTES QUE TARDE – QUEM PUDER, AVISE BOLSONARO QUE ELE JÁ FOI ELEITO PRESIDENTE DO BRASIL

Em 2014, o então deputado Jair Messias Bolsonaro afirmou que Maria do Rosário não merecia ser estuprada porque ele a considerava “muito feia” e a petista não fazia o “tipo” dele. Por essa mesma declaração, Bolsonaro foi condenado a pagar R$ 10 mil e recorreu ao STF.

Na última sexta-feira (12), Bolsonaro usou seu principal instrumento de combate, o Twitter, para manifestar solidariedade com o apresentador Danilo Gentili. Na quarta-feira (10), Gentili fora condenado a seis meses e 28 dias de prisão em regime semiaberto por injúria à deputada federal Maria do Rosário (PT-RS).

“Me solidarizo com o apresentador e comediante Danilo Gentili ao exercer seu direito de livre expressão e sua profissão, da qual, por vezes, eu mesmo sou alvo, mas compreendo que são piadas e faz parte do jogo, algo que infelizmente vale para uns e não para outros”, escreveu Bolsonaro. Em 2016, o apresentador do SBT publicou uma série de tuítes chamando a deputada de “falsa”, “cínica” e “nojenta”.

Com pavio curtíssimo, que não pode existir quando se encontra no comando de um país, na ocasião Bolsonaro justificou seu destempero: “Ela [Maria do Rosário] me chamou de estuprador e ela estava defendendo o estuprador Champinha. Só isso”, acrescentou.

Após a decisão do STJ, Maria do Rosário disse que a condenação era uma “vitória de todas as mulheres brasileiras”. “Nós tivemos coragem de enfrentar um parlamentar, uma autoridade pública, que usa o espaço público para fomentar a violência. Não é uma vitória de uma ou de outra, é de todas nós”, afirmou.

Na ocasião do julgamento, a ministra do STJ Nancy Andrighi votou contra o recurso de Bolsonaro, alegando que, ao falar que Maria do Rosário não merecia ser estuprada, o deputado “atribuiu ao crime a qualidade de prêmio, de benefício à vítima”. Andrighi foi categórica:

“A expressão ‘não merece ser estuprada’ constitui uma expressão vil que menospreza a dignidade de qualquer mulher, como se uma violência brutal pudesse ser considerada uma benesse, algo bom para acontecer com uma mulher.”

A pergunta que não quer calar: se fosse outra a mulher, em vez de Rosário, o presidente da República tuitaria em solidariedade a Danilo Gentil, que, por sua vez, se disse “honrado” com o apoio?

80 TIROS

Durante evento de inauguração do aeroporto em Macapa também na última sexta-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro falou pela primeira vez sobre o músico Evaldo dos Santos Rosa, 51, morto pelo Exército no domingo (7), no Rio de Janeiro, quando o carro que dirigia foi alvo de pelo menos 80 tiros de fuzil disparados por soldados do Exército. Os militares disseram que confundiram o carro com o de criminosos.

Bolsonaro declarou:

“O Exército não matou ninguém, não. O Exército é do povo e não pode acusar o povo de ser assassino, não. Houve um incidente, uma morte.” O Presidente disse ainda lamentar “a morte do cidadão trabalhador, honesto, e está sendo apurada a responsabilidade. No Exército sempre tem um responsável.” (C.R.)

 

 

 

 

 

Comentários