Vitrine Online, a melhor informação !

PRIMEIRO ÔNIBUS DEIXA A GARAGEM DA VIAÇÃO, APÓS FIM DA GREVE QUE DUROU QUATRO DIAS

A primeira greve de transporte coletivo urbano e rural da história de Ibiúna terminou hoje (20) exatamente às 17h10, quando o motorista Joani Pires Domingues deixou a garagem da Viação Cidade de Ibiúna com o primeiro ônibus liberado após o término do movimento e rumou para o Terminal Rodoviário para iniciar a jornada do seu turno, assim como fizeram outros na sequência. O fim da greve foi determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho em São Paulo, após reunião de conciliação da qual participaram os representantes do Sindicato dos Condutores de Osasco e Região, da empresa de transporte e da prefeitura, que acabou sendo excluída do processo porque a procuradora representante da administração pública alegou falta de autonomia [um recurso jurídico] para tomar deliberação.

A greve iniciada na madrugada da última terça-feira (17) durou quatro dias e causou um prejuízo incalculável para a população em geral, estudantes, pacientes médicos e para o comércio em geral. Caixas de um grande supermercado de Ibiúna disseram que “a loja ficou ‘vazia’ nesses dias”. Os reflexos realmente foram sentidos de modo especial para a parcela da população (grande maioria) que mora nos quase noventa bairros da grande extensão do município com um total de 1.056 km2, alguns distante cerca de 40 km do centro da cidade.

A determinação do TRT foi aprovada por unanimidade em assembleia realizada por volta das 16h30 em frente à garagem da Viação Cidade de Ibiúna, com a presença dos motoristas, e líderes locais, tendo à frente o presidente do Sindicato dos Condutores de Osasco e Região, Antonio Alves Filho; o vice-presidente Itamar Donizete Luiz; o secretário-geral Luiz Carlos Segatelli, que leu e esclareceu os termos da decisão tomada pelo

TRT que foi posta em votação e aprovada por unanimidade pelos trabalhadores.

Eis as deliberações dos desembargadores do TRT e aceita de parte a parte:

1. Pagamento do salário de agosto hoje (20) por depósito bancário [no momento da assembleia praticamente todos os salários já haviam sido depositados];

2. Não desconto dos dias de paralisação;

3. Pagamento dos salários até o quinto dia de cada mês e os vales no dia 15;

4. Multa de 40% do valor a ser recebido pelos trabalhadores, caso o pagamento não seja feito na data determinada;

5. Estabilidade de emprego por 60 dias.

 

“Maior vitória”

O presidente do sindicato, Alves Filho, tão logo começou a falar, num clima de emoção compartilhada pelos trabalhadores, disse que esta “é a maior vitória da minha vida”. É um fato que ficará para a história desta cidade, já que foi a primeira greve dos transportes públicos de toda a história de Ibiúna. Atribuiu esse problema à empresa responsável pelo transporte da população e também ao poder público do município. Anunciou que uma comissão permanente – com representantes da empresa, da prefeitura e dos trabalhadores – deverá monitorar essa atividade no município de Ibiúna.

O vice-presidente do sindicato, Itamar Luiz, disse que jamais viu um movimento como esse “feito com humildade, respeito e pacífico” porque “tudo que é arrogante paga caro”.

Além de fogos, os trabalhadores comemoraram a vitória de modo festivo com aplausos e orientação, por parte do presidente do sindicato, para respeitar “aqueles companheiros que, por razões que seus próprios corações irão considerar com o tempo, não nos acompanharam na greve”.

Comentários