IBIÚNA – RUAS CENTRAIS ESTÃO EXALANDO FORTE MAL CHEIRO

Vazamento de esgotos em ruas centrais de Ibiúna, emanando um mal cheiro repugnante, não é exatamente um bom atrativo turístico e não combina com essa condição nominal do município, uma estância turística há 23 anos.

A Avenida Fortunatinho, que começa na Praça da Matriz, o esgoto saía da boca de um bueiro e escorria pelo meio fio. Na esquina com a Rua Raimundo Santiago um líquido se espalhava pela rua.

Na Rua Guarani, que ganhou uma triste fama por conta de ter sido transformada numa precaríssima “estação rodoviária”, a situação não era diferente.

Na Rua Alcy Bandeira, um médico que também dá nome ao Posto Central de Saúde, na Avenida São Sebastião, os moradores chamaram vitrine online pela terceira vez por haver duas enormes crateras, de onde o esgoto corre solto exalando cheiro ruim.

Rua Dr. Alcy Bandeira

Há alguns dias, um carro ao tentar desviar das crateras colidiu com a lateral de um carro que estava saindo da garagem, na altura do número 268.

No Calçadão, por onde transitam diariamente muitas pessoas, com diversos buracos no centro da via, com perigo para os pedestres, o cheiro ruim também está presente.

ALÔ, SABESP!

Num primeiro momento, parece óbvio que a Sabesp precisa realizar uma fiscalização desses pontos que provocam náuseas em narizes mais sensíveis e corrigir esses problemas o quanto antes.

Avenida Fortunatinho: esgoto corre dia e noite pelo meio fio: cheiro nauseante

Mas quanto aos buracos, compete à Prefeitura fazer os reparos, juntamente com a Sabesp porque há redundância nas causas de um e de outro problema.

Os vazamentos de esgoto podem causar buracos, assim como buracos podem provocar vazamento de esgoto.

Afinal, somos ou não uma estância turística. Mas, por enquanto, evite que os visitantes da cidade passem por um desses lugares. Vão ficar com uma péssima impressão dos administradores da cidade.

CHEIRO HORRÍVEL

O saco indicado no círculo exalava um cheiro horrível hoje (7), em frente a uma escola municipal na Rua XV de Novembro

Hoje, por volta das 12h, ao lado de um coletor de lixo instalado próximo do muro da Escola Municipal Professora Oriane Cândida de Paula Silva, na Rua XV de Novembro, havia um saco possivelmente contendo material orgânico. Sentia-se um cheiro terrível de coisa podre. E as mães que iam buscar seus filhos na escola passavam placidamente por esse local com as crianças.

Com a palavra a Sabesp e as Secretarias de Desenvolvimento Urbano e de Obras.

Rua Guarani

Carlos Rossini

Carlos Rossini é jornalista, sociólogo, escritor e professor universitário, tendo sido professor de jornalismo por vinte anos. Trabalhou em veículos de comunicação nas funções de repórter, redator, editor, articulista e colaborador, como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Diário Popular, entre outros. Ao transferir a revista vitrine, versão imprensa, de São Paulo para Ibiúna há alguns anos, iniciou uma nova experiência profissional, dedicando-se ao jornalismo regional, depois de cumprir uma trajetória bem-sucedida na grande imprensa brasileira. Seu primeiro livro A Coragem de Comunicar foi lançado na Bienal do Livro em São Paulo no ano 2000, pela editora Madras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *