IBIÚNA – REPERCUSSÃO DE STORIE REFLETE DESEJO DE MUDANÇA NA POLÍTICA DO MUNICÍPIO

A 241 dias das eleições municipais no município de Ibiúna [elas se realizarão no dia 6 de outubro], quando serão sufragados os candidatos a prefeito, vice e vereadores, é notável o desejo da população de eleger novos candidatos, não “viciados” na repetitiva política do toma lá, dá cá.

Uma das evidências dessa realidade é o resultado da postagem feita pelo editor de vitrine online, jornalista Carlos Rossini, no storie.

Em menos de 24 horas, mais de 400 pessoas parecem ter se identificado com o significado simbólico do texto, animado com o fundo musical “Viva La Vida” (Acustic Guitar Revival):

“Atenção políticos de Ibiúna! O povo está despertando e não quererá mais dos mesmos no dia 6 de outubro.”

A dedução lógica é que o povo está cansado, ou “de saco cheio”, como comentou um leitor em outra circunstância, de eleger os mesmos candidatos [para o Executivo e o Legislativo] que, em suma, fazem muito jogo de cena exibitória, mas não governam ou legislam para o povo, e sim de acordo com seus próprios interesses.

Para não cansar os olhos dos leitores com uma vasta lista de casos, exibimos aqui três situações exemplares que estão provocando reação crítica na opinião pública ibiunense.

A rejeição de um pedido de averiguação de possíveis irregularidades na aplicação dos recursos do Fundeb por 10 vereadores da base aliada do governo, na sessão da Câmara Municipal do dia 6, provocou indignação de larga parcela da população que teve acesso a essa notícia.

Um caso que repercutiu mal ocorreu na sessão do dia 31 de junho de 2023, quando 12 fiéis edis da base aliada simplesmente desengavetaram uma decisão que havia sido tomada por seus colegas de outra gestão, que haviam rejeitado as contas de 2013 e 2017 do então prefeito e atual secretário de Desenvolvimento Urbano, Fábio Bello.

Eles simplesmente as reapresentaram no plenário e votaram pela aprovação, fato que deverá ficar nos anais do Legislativo ibiunense como um mau exemplo de conduta.

Quem presta atenção nos reclamos feitos nas redes sociais pela população nota a existência de problemas sérios nos setores da saúde, campeão de queixas, juntamente com a situação precária das estradas e transporte público, que está na berlinda porque não está atendendo aos usuários a contento e tem provocado muito sofrimento na população.

A reforma da rodoviária que parece interminável, por incompetência de gestão, fez o povo ser submetido a desconfortos extremos em uma calçada estreita na Rua Guarani por quase 2,5 anos, onde várias pessoas de idade desmaiaram sob sol forte, chuva, frio, pessoas carentes, com limitações de mobilidade.

São apenas alguns dos muitos motivos que estão despertando a população para a necessidade de mudança que deverá se manifestar no dia 6 de outubro, quando depositarem seus votos nas urnas.

Carlos Rossini

Carlos Rossini é jornalista, sociólogo, escritor e professor universitário, tendo sido professor de jornalismo por vinte anos. Trabalhou em veículos de comunicação nas funções de repórter, redator, editor, articulista e colaborador, como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Diário Popular, entre outros. Ao transferir a revista vitrine, versão imprensa, de São Paulo para Ibiúna há alguns anos, iniciou uma nova experiência profissional, dedicando-se ao jornalismo regional, depois de cumprir uma trajetória bem-sucedida na grande imprensa brasileira. Seu primeiro livro A Coragem de Comunicar foi lançado na Bienal do Livro em São Paulo no ano 2000, pela editora Madras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *