Vitrine Online, a melhor informação !

SEM PLANEJAMENTO, TROCA DE EMPRESA DE ÔNIBUS EM IBIÚNA GERA CAOS E SOFRIMENTO AOS MUNÍCIPES

Um fato ocorrido na madrugada do dia 20 de novembro de 2012, na primeira gestão do atual prefeito, voltou a se repetir na madrugada desta segunda-feira (2): por meio de um contrato emergencial assinado na última quinta-feira (29), a Viação Raposo Tavares, do grupo Danúbio Azul, assumiu o transporte público no município de Ibiúna, no lugar da Transporte Vargem Grande Paulista – TVGP (Viação Cidade de Ibiúna), que vinha operando sem nenhum tipo de contrato. Inesperada, pela forma como foi feita a substituição, se estabeleceu um caos no atendimento aos munícipes que se viram perdidos, desorientados e prejudicados com grande perda de tempo, tanto nos pontos nas dezenas de bairros municipais quanto na rodoviária. Outra surpresa desagradável: o preço da passagem passou de R$ 2,85 para R$ 3,20. Que segunda-feira!

Pelo menos até às dez horas da manhã, por desorganização e falta de planejamento ou de comunicação, as duas empresas operaram simultaneamente, algo preocupante de qualquer forma. Com a presença ostensiva de viaturas e policiais da GCM aos poucos, os ônibus da TVGP que iam encostando nas baias da rodoviária, já eram avisados de que deviam ser recolhidos, pois não mais poderiam operar. A mesma cena ocorreu no dia 22 de novembro de 2012, mostrando que por aqui a evolução ou mudança de conduta é raridade. A TVGP somente foi oficialmente avisada da mudança por volta das nove horas da manhã, algo também condenável do ponto de vista operacional, que levou ambas as empresas operarem ao mesmo tempo.

DESRESPEITO

É verdade que a imagem da TVGP em Ibiúna estava superdesgastada. Chegou a haver um acúmulo de fotos comprometedoras e informações em diversas redes sociais: acidentes com ônibus, peças se soltando pela estrada, veículos quebrados com frequência (e sendo empurrados pelos passageiros). A prefeitura chegou a notificar o Ministério Público a falta de qualidade na prestação de serviço ao público pela empresa.

Todos esses atributos negativos, não poderiam, no entanto, justificar a maneira como foi feita a substituição do ponto de vista do interesse público. Não houve nenhum comunicado ou aviso prévio para a população se preparar para a mudança que, nesse caso, exige um período de adaptação. Até o momento os horários não estão claramente definidos. Somente 25 ônibus (de um total previsto de 42) teriam entrado em operação hoje, o que é uma dramática redução na oferta desse serviço público essencial.

Vitrine online percorreu a rodoviária na manhã de hoje e ouviu mais de vinte munícipes que esperavam por ônibus. Estavam todos desorientados e cansados da espera. Os funcionários da Viação Raposo Tavares informaram que a “tendência é que a situação vá se normalizando”.

A nova empresa firmou um contrato emergencial por 180 dias (seis meses), prazo em que a administração municipal pretende abrir uma licitação, segundo nos informou às 17 horas de hoje Ulisses Levi Rocha Pessoa, secretário da Administração.

DESINFORMAÇÃO

Desde cedo, Vitrine online procurou uma fonte de informação para esclarecer o que estava ocorrendo e, depois de muita insistência, só no fim da tarde conseguiu falar com o secretário da Administração Municipal. A mesma negligência observada em relação aos munícipes e à opinião pública ibiunense, pela forma surpreendente e noturna de lançar um novo serviço sem prévio aviso, ocorreu no atendimento a um veículo de comunicação que hoje se orgulha da credibilidade conquistada e pelo expressivo número de leitores que o acompanham. (C.R.)

 

 

Comentários