Vitrine Online, a melhor informação !

ENQUETE PANORAMA – OPINIÃO PÚBLICA REPROVA CÂMARA E PREFEITURA DE IBIÚNA

panoramaEmbora uma enquete tenha pouco valor científico, de alguma forma deve ser levada em consideração como indicativa de uma realidade que pode ser confirmada por uma pesquisa, que utiliza uma metodologia científica rigorosa e assegura resultados mais precisos do universo pesquisado. Feita essa ressalva, ontem (10), durante o programa “O repórter da cidade”, apresentado pelo jornalista Carlos Rossini, na TV Ibiúna, o jornalista Bruno Machado apresentou os resultados da enquete de tendência política realizada por seu blogue Panorama.

É sabido que na dinâmica dos fatos, resultados obtidos num determinado momento podem se modificar em outros e, por isso, em vez de provocar desconfortos deve servir de advertência aos atores políticos até mesmo para que corrijam suas atitudes vistas pela população como negativas.

Um dos aspectos que chamaram a nossa atenção foi a desproporção de representatividade da amostra colhida: maior na área urbana e menor na área rural. Uma vez que a maior concentração de eleitores se encontra na área rural, em torno de 64%, e na área urbana 34%, deveria haver maior participação da população dos bairros espalhados por mais de 1.000 km2. Isso se deve, em grande parte, ao fato de que uma vasta área do território ibiunense não contar com sinal de Internet e de que um grande número de pessoas ainda não estarem incluídas na rede. Machado, que deverá apresentar resultados de mais enquetes, levará esse aspecto em consideração com coleta de opiniões diretamente da população, por meio de amostras representativas.

IMAGEM DA CÂMARA E PREFEITURA

Os dados obtidos com um total de 264 participantes oferecem um recorte da imagem de duas instituições públicas da maior importância: a Câmara Municipal e a Prefeitura. Comparando os dados, a rejeição da Câmara é maior do que a da Prefeitura. Enquanto o Legislativo obteve 90% nos quesitos ruim e péssimo, a prefeitura, atingiu 70,4%. Eis os resultados por quesitos: Câmara Municipal: ruim, 36%; péssimo, 34,8%; regular, 21%; bom, 7%; ótimo, 0%. Prefeitura: ruim, 29,9%; péssimo, 40,5%; regular, 23,1%; bom, 6,1%; ótimo, 0,4%.

Vale ressaltar que a situação das duas instituições do ponto de vista da opinião pública é de significativa reprovação e um sinal de que seus desempenhos devem melhorar, a fim de que esse resultado venha a ser revertido.

Outros dados dignos de nota refletem os sentimentos da população ibiunense e sinalizam uma perspectiva de possível mudança de comportamento eleitoral, a ser conferido nas urnas no dia 2 de outubro de 2016.

A enquete perguntou: “Os atuais políticos têm condições de desenvolver o município?” Respostas: NÃO, 86,7%; SIM, 13,3%. Note-se que esse resultado está coerente com a imagem pública revelada em relação à Câmara Municipal e à Prefeitura.

“Você acredita nas promessas de campanha feias pelos políticos de Ibiúna?” Respostas: NÃO, 89%; SIM, 11%.

“Você acredita na honestidade dos políticos ibiunenses?” Respostas: NÃO, 84,5%, SIM; 15,5%.

Um resultado que parece indicar uma esperança positiva, sobretudo para novos postulantes a cargos políticos, em que se incluem pessoas que vão se candidatar pela primeira vez, surgiu povocada pela pergunta: “Você votaria em um candidato novo no cenário político?” Respostas: SIM, 92,8%; NÃO, 7,2%.

BOM CANDIDATO A PREFEITO

A enquete permitiu que fosse traçado um perfil das características desejadas em um candidato a prefeito: capacidade de trazer investimentos, 64%; coragem para romper com o sistema [da política local], 59,1%; capacidade de resolver problemas rapidamente, 54,4%; capacidade de elaborar projetos, 53,8%; perfil arrojado e visionário, 40,5%; capacidade de negociar, 42%

Qual é a diferença entre pesquisa e enquete?
Em muitas ocasiões, as pessoas se referem às pesquisas como sendo enquetes. Entretanto, a diferença entre os dois significados está no rigor científico da execução das mesmas. Nas enquetes há autosseleção da amostra (as probabilidades são desconhecidas) e, portanto, existe a possibilidade de viés [dificultar] nos resultados, já que o perfil dos respondentes pode não ser representativo do universo. Os resultados podem não ser replicados. Por exemplo, em sites com perguntas, as pessoas decidem ou não se querem participar e pode ser que somente pessoas com determinadas características respondam às perguntas. Ela se auto-seleciona para responder às perguntas. Em pesquisas por amostragem, entretanto, a seleção dos respondentes é feita por critérios científicos (probabilidades conhecidas) e o perfil dos respondentes é representativo do universo pesquisado. Os resultados são replicados. FONTE: IBOPE

Comentários