Vitrine Online, a melhor informação !

ELEIÇÕES EM IBIÚNA – SE MUDAR É PRECISO, É PRECISO MUDAR

A composit of various views of a monarch emerging from its chrysalis.
É notório o desejo de mudança na população ibiunense nas vésperas das eleições municipais. São tristes e abomináveis as lembranças do que ocorreu nos últimos quatro anos no cenário político da cidade. Um governo bicéfalo, pela conturbação de troca de prefeitos, se mostrou ineficaz em ambos os casos legando aos munícipes problemas e desconforto bem conhecidos.

Preocupações com saúde, emprego, segurança, estradas esburacadas e lixentas, transporte público deficiente, séria falta de transparência, em desrespeito ao direito à informação. Esses são alguns dos tópicos que ninguém desconhece, pois todos os vivenciam no dia a dia. E é em torno deles que querem mudança. Mas, para haver mudança, é preciso que mudemos o nosso jeito de pensar.

Mudança, por definição, é a colocação de um indivíduo (ou coisa) no lugar de outro, geralmente porque o que existe se tornou insatisfatório. Sem que isso aconteça a mudança deixa de existir e a situação continua como está ou pode piorar e é isso que acontece quando as coisas ficam fora do propósito.

Os reflexos dos fatos que decorreram das eleições de 2012 ainda estão vivos e presentes na vida dos ibiunenses, assim como os desconfortos infligidos aos cidadãos. Há indícios de que a administração mal consegue pagar as suas contas em dia, o que estaria sendo feito por meio de decisões imprevisíveis e incapazes de tranquilizar os credores que estão com os nervos à flor da pele, alguns já atingidos por processos neuróticos.

Parece mesmo não haver espaço para escrúpulos, que são as atitudes cuidadosas e dotadas de sentido moral. Poucos têm acesso ao que ocorre entre quatro paredes: reuniões nervosas, frustrantes, promessas vãs, tensão, desconfiança, medo. Se fossem peças teatrais, tais cenas ocorreriam nos bastidores, longe das luzes do palco e dos olhares diretos da plateia.

Estamos sendo levados como os corpos que descem o Ganges, o rio sagrado da Índia? Vivemos no interior paulista, a poucas dezenas de quilômetros de uma das maiores cidades do planeta, São Paulo. Se diz isso para indicar a perplexidade que muitos ibiunenses expressam quando se referem aos problemas que ocorrem no âmbito político-administrativo do trigésimo-quarto maior município do Estado de São Paulo em dimensão territorial. A despeito disso, existem grandes possibilidades econômicas, sociais e culturais e imensas reservas naturais, que, aos poucos, estão sendo reduzidas, mas não percebidas como o devido, talvez por sofrermos de miopia.

Em suma, se queremos mudar é preciso que mudemos nós, primeiro; acordemos para o entendimento de que só haverá mudança se soubermos bem escolher o futuro prefeito, vice, assim como aqueles que irão nos representar na Câmara de Vereadores. (Da Redação)

 

Comentários