Vitrine Online, a melhor informação !

VIOLÊNCIA CONTRA MULHER – VIZINHOS E POLÍCIA EVITAM TRAGÉDIA NO BAIRRO DA CACHOEIRA, EM IBIÚNA

Homens, provavelmente imaturos ou portadores de algum distúrbio mental, praticam agressões extremamente violentas contra mulheres, que os abandonam ou pedem separação. Parecem não suportar a situação por motivos diversos que a psiquiatria forense busca explicar.

Todos os dias no Brasil 12 mulheres são assassinadas por esse motivo, uma a cada duas horas; das que não morrem restam sequelas graves devido aos golpes seja com instrumentos cortantes, pedaços de pão ou mesmo socos e pontapés.

A sociedade, já repetimos aqui, está doente e nem mesmo o judiciário se mostra capaz de determinar proteção eficaz para as vítimas desses algozes dos quais se tornam tão inseguras que acabam suportando sofrimento às vezes por vários anos, exatamente para não sofrerem espancamentos ou mesmo a morte.

Na manhã deste domingo (24), no conjunto “Minha Casa, Minha Vida”, apelidado de “Casinhas”, localizado no início da Estrada da Cachoeira, no bairro do mesmo nome, no município de Ibiúna, um homem cuja mulher pedira separação por pouco provoca uma tragédia.

Fechou a casa – a mulher e duas filhas gêmeas estavam dormindo – cortou a mangueira do gás de cozinha e permaneceu lá dentro. Alertados pelo forte cheiro de gás, vizinhos chamaram a polícia que abriu a casa e socorreu as vítimas, levadas ao pronto-socorro do Hospital Municipal pelo Samu. Todos foram atendidos e passam bem! O marido ainda tentou ficar na casa, mas foi retirado à força pelos policiais.

Na Delegacia de Polícia de Ibiúna pelo menos dez mulheres comparecem por mês para registro de ocorrência, da mesma forma por terem sido vítimas de seus maridos ou companheiros que “perdem a cabeça” e partem para a agressão, não raro alcoolizados, o que não diminui, ao contrário, aumenta a intensidade do crime.

Recentemente, no bairro do Cupim, um homens transtornado por ser abandonado pela mulher, estuprou e matou a própria filha de 8 anos e incendiou a casa. Anteriormente, ele já havia cometido os crimes homicídio e estupro, o que mostra falhas no sistema judiciário, que deixa solto um indivíduo de alta e notória periculosidade.

É certo que problemas de ordem econômica desestabilizam as relações domésticas, mas não é a causa única dessa violência contra a mulher, sempre há outros fatores que desencadeiam agressividades impiedosas, que acabam afetando seriamente crianças e adolescentes que testemunham [ou também são vítimas] desses fatos lamentáveis. E sabemos o quão longe estamos de enfrentar esse problema que abrange toda a sociedade brasileira. (C.R.)

 

 

Comentários