Vitrine Online, a melhor informação !

EQUANIMIDADE – ESTA PALAVRA PODE LIVRAR VOCÊ DE ABORRECIMENTOS DIÁRIOS

O que você sente quando tem uma reunião ou encontro marcado com alguém e fica chocando na cadeira por um longo tempo e, pior ainda, depois da demorada espera é avisado que não será recebido? Se você já viveu essa situação, saiba que fatos dessa natureza podem estar ocorrendo com uma frequência incomum.

Esse tipo de conduta é reprovável, lógico, mas vai além disso: trata-se de uma falta de respeito e de injustiça, um modo de agir incorreto e até mesmo uma violação do direito do outro. Mas, tenho ouvido muitas queixas desses episódios que, por prudência e medo das vítimas, permanecem em surdina, num penumbroso silêncio desaprovador.

Falta às pessoas que procedem dessa maneira com os outros uma ética individual, pois provocam sofrimentos desnecessários nas pessoas que padecem na espera, além naturalmente da antipatia de que se tornam alvos. Tenho visto isso e até mesmo sofri na própria pele uma dessas situações constrangedoras.

Pois se há personagens que agem desse modo rotineiramente, talvez já o tenham absorvido em sua personalidade tratar os demais com desprezo planejado, como fazem habitualmente os políticos e, claro, sempre contam com uma justificativa que é convincente somente para eles.

Pois bem, se temos que passar por esses tormentos seculares cometidos por pessoas investidas de poderes temporários, é apropriado mudar o nosso comportamento, já que supostamente não haverá mudança de atitude por parte de seus protagonistas. Claro, a menos que a pessoa que vem para a reunião tiver prestígio e igualmente poder público. Aí, o atendimento é imediato carregado de ademanes, salamaleques e rapapés.

Existe um recurso que, empregado com mestria, depois de ser reconhecido e exercitado por um bom tempo, que pode ser a tábua de salvação desse tipo de tormento moral. Atende pelo nome de: equanimidade.

Essa palavra surge da fusão de dois termos latinos: aequus [significa igual, parelho] e de animus [alma, mente]. Trata-se de um sentimento de se manter igual em si mesmo, tranquilo, sereno, sem se alterar diante de qualquer situação.

Em grego, a palavra justiça, que deveria ser a forma de tratamento recíproco, vem de justo, um verbo que significa livrar. Em suma, você pode ser capaz de se manter livre do jogo de todas aquelas pessoas que, de alguma forma, se arrogam direitos injustos, na medida em que lhe desrespeitam.

Com relação ao sentimento habitual de se sentir desprezado, magoado, sua origem na filosofia budista é atribuída à causa dos sofrimentos humanos: a ignorância do apego ao desejo [de querer alguma coisa e frustrar-se por não consegui-la] e o apego à aversão [sentir antipatia por alguém que lhe causou algum mal].

De modo simples, mas difícil de conseguir sem esforço e disciplina, a equanimidade também se constitui de uma ética individual, que funciona como um antídoto contra provocações recebidas, pois trata-se de um fenômeno subjetivo [ocorre dentro de sua mente] que causa profunda tranquilidade. Trata-se, afinal, de um protetor contra as injustiças que cometem contra você a qualquer momento e em qualquer lugar. Ser equânime é importante passo para sentir-se livre de afetações. Mas, não esqueça: equanimidade não é igual à indiferença, que seria falta de sensibilidade. (Carlos Rossini é editor de vitrine online)

 

 

Comentários