Vitrine Online, a melhor informação !

VÍDEOS – VITRINE ONLINE EXIBE BOLETINS DIÁRIOS SOBRE O MONITORAMENTO DO CORANAVÍRUS EM IBIÚNA

A revista vitrine online iniciou na última quarta-feira (18) a exibição diária de boletins sobre a situação da pandemia do novo coronavírus em Ibiúna, com base em informações oficiais fornecidas pela Prefeitura de Ibiúna, em transmissões gravadas e/ou ao vivo ao fim do dia, com o propósito de colher as informações mais atualizadas possíveis.

Nesta quinta-feira (19) o panorama no município de Ibiúna assim se apresentava: 16 casos suspeitos [3 homens, 3 crianças e 10 mulheres]. Felizmente, nenhum caso foi confirmado até a tarde de ontem. Havia 11 pessoas em quarentena em suas residências, segundo informou a Assessoria de Imprensa da Prefeitura.

Ao contrário de duas notícias falsas postadas no Facebook e no WhatSapp, não houve registro de nenhuma morte causada por coronavírus no município de Ibiúna, de acordo com as autoridades da saúde locais.

O prefeito havia postado um vídeo gravado no período da manhã em que fazia um balanço da situação dos casos no Brasil. O chefe do Executivo informara que havia 9 pessoas em quarentena, número diferente divulgado pela revista. Ao indagar o responsável pelo serviço de informação à imprensa, jornalista Bruno Machado, este nos informou que há uma dinâmica no processo de monitoramento de doenças contagiosas e atribuiu a diferença ao fato de o vídeo ter sido gravado pela manhã, e as informações fornecidas à vitrine online estavam atualizadas até o fim da tarde.

COMPORTAMENTO IRRACIONAL

O editor de vitrine online esteve na manhã de ontem no Supermercado Ibiúna, o maior do município, e constatou, como vem acontecendo de modo geral no País, a forma irracional, provocada pelo medo que assola os brasileiros, comportamentos notoriamente egoístas e contraproducentes, com uma voracidade consumerista surpreendente.

Em suma, e contrariando as orientações das autoridades de saúde de todo o país, havia grandes filas e aglomerações nas filas dos caixas, o que violava as medidas preconizadas para que se mantenham distâncias entre as pessoas, a fim de evitar a transmissão da doença.

Desde o último domingo (15) o movimento de clientes na loja está equivalente aos períodos de maior intensidade de consumidores, que ocorrem nas festas de fim de ano, ou seja, extremamente superior ao que ocorreria normalmente nesse período em que a frequência é considerado “fraco”, pois se encontra antes da liberação de vales e dos pagamentos no início de cada mês.

Consequência: os repositores de mercadorias em geral, mas sobretudo de gêneros de primeira necessidade como arroz, feijão, farinha, macarrão, açúcar, entre outros, não conseguiam dar conta de preencher as prateleiras. Uma particularidade: o consumo de papel higiênico teve uma demanda exponencial e exigiu uma reposição extraordinária [veja a foto].

Havia uma tensão no ar devido a um provável sentimento de suprir o medo de desabastecimento, já que a orientação geral para combater a progressão do Covid-19 na população é exatamente que as pessoas permaneçam em suas casas, até que o pico da transmissão decline. Na realidade, todos estamos sujeitos a uma ansiedade devoradora de bom senso, mas é exatamente esse fator que deve ser mantido sobre controle. É preciso muita calma neste momento! 

Na postagem de ontem, vitrine online notou grande número de paulistanos que estão fazendo compras no supermercado, incluindo os demais que existem na cidade, e que, aparentemente, estão se refugiando em suas chácaras, a fim, provavelmente, de se manterem afastados da Capital onde estão sendo registrados testes positivos para o vírus e ocorrência de maior número de óbitos no País.

DEPÓSITO ABARROTADO

O editor de vitrine online teve a oportunidade de visitar à tarde o setor de estoque de mercadorias do Supermercado Ibiúna e verificou que se encontra abarrotado de mercadorias e, com exceção do álcool gel, o abastecimento de todos os demais produtos está normal, o que indica que as pessoas não precisam correr freneticamente para garantir os provimentos em suas casas. Se ficarem calmos, farão compras com calma, sem atropelos e de forma mais segura, mantendo distância segura em relação aos demais.

A falta de álcool gel que deverá se normalizar se deve ao fato de o fabricante não estar dando conta da demanda. Pois esta semana, em apenas um dia, foram vendidos mais de 100 frascos do produto.

Verificamos que havia apenas uma mulher usando máscaras, um homem utilizando luvas cirúrgicas e outro usando luvas para mover o carrinho de compras, as demais pessoas estavam sem nenhuma proteção e falando umas com as outras com distâncias inferiores a um metro, em desrespeito à orientação das autoridades sanitárias, pois isso aumenta a possibilidade de contágio.

Um empresário do setor de construção que se encontrava na fila, mas que reside em São Paulo sintetiza a busca para garantir o abastecimento de sua casa. O indagamos se aquela era uma compra habitual em volume, ele respondeu que não, que estava comprando muito mais produtos [visíveis em seu carrinho de compras] por conta da ameaça da doença provocar desabastecimento, o que, até o momento, não tem o menor fundamento.

ÁLCOOL GEL

O governo do Estado de São Paulo anunciou ontem (19) ter feito um acordo com os supermercados paulistas para ofertarem “álcool gel a preço de custo”. Esse produto é um dos principais itens recomendados por autoridades de saúde para prevenção e combate ao coronavírus. Eis a nota oficial do governo paulista:

“A partir de 23 de março [próxima segunda-feira] os supermercados venderão o produto com margem zero, sem nenhum valor adicional”. As farmácias não foram, até o momento, abrangidas por esse acordo feito com os supermercados.

Atualização às 16h22: O governador João Doria anunciou nesta sexta-feira (20) um acordo com a Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias) para que as unidades de redes ofereçam álcool gel a preço de custo em todo o Estado de São Paulo. O produto é um dos principais itens recomendados por autoridades de saúde para prevenção e combate ao coronavírus. “As redes de farmácia, igualmente aos supermercados, a partir de segunda-feira, dia 23 de março, venderão álcool gel a preço de custo, oferecendo condições de acessibilidade à população”, afirmou Doria.

BOLETINS DIÁRIOS

Desde quarta-feira (18), a Secretaria de Desenvolvimento Regional do governo paulista passou a enviar boletins diários sobre a pandemia da Covid-19 para os 645 municípios existentes no Estado. Os boletins informam e orientam as prefeituras para contenção da pandemia. (Carlos Rossini é editor de vitrine online)

Comentários