Vitrine Online, a melhor informação !

NOVA EDIÇÃO DE DICIONÁRIO DE PROPAGANDA E MARKETING FOI ELABORADA EM IBIÚNA

A 5ª edição do Dicionário de Marketing e Propaganda – Zander Campos da Silva, atualizada e enriquecida com centenas de novos verbetes, resultados de minuciosa pesquisa, incluindo a mídia digital, que revoluciona o mercado do marketing e da propaganda, será lançado no Brasil em setembro próximo. Considerada uma das mais completas obras em seu segmento, é dirigida a todos aqueles que se interessam ou atuam profissionalmente nas áreas de marketing, propaganda, imprensa e relações públicas, foi elaborada no município de Ibiúna, sob a coordenação do editor-jornalista Antoninho Rossini e preparação, desenvolvimento de verbetes e revisão do jornalista Carlos Rossini, a criação gráfica ficou por conta do webdesigner Reinaldo Sordi.

Além de cerca de cinco mil verbetes, o dicionário apresenta quarenta e cinco adendos com informações relacionadas às entidades de classe tanto no Brasil quanto no Exterior, premiações e as expressões que se destacam nas mídias sociais. Com quinhentos e cinquenta e seis páginas, capa dura, o livro contém abonações de profissionais e empresários consagrados do setor.

O autor do dicionário, Zander Campos da Silva, é um dos pioneiros da propaganda no Centro-Oeste brasileiro, sua empresa está localizada em Goiás, iniciou suas atividades na Cannes Publicidade em 1957. “Fui e ainda sou um desses apaixonados  pelos efeitos que a atividade pode causar na sociedade, inclusive, inserindo hábitos  e até expressões que acabam marcando gerações”. E esclarece:

“Este dicionário nasceu com os primeiros rabiscos que fiz em 1962. Estava cursando Publicidade e Promoção de Vendas do IPET – Instituto de Promovendas e Ensino Técnico do Rio de Janeiro, quando percebi o quão vasto  é o linguajar técnico da área. Pensei: ‘Vou comprar um dicionário sobre propaganda’. Mas, para minha surpresa, não existia nenhum. Não fiquei frustrado. Apenas imaginei que se não existia era porque ninguém tinha pensado, até então, em escrevê-lo. Foi o pontapé para que eu me tornasse um colecionador de palavras!” A primeira edição do dicionário ficou pronta em 1976.

 

Comentários