Vitrine Online, a melhor informação !

IBIÚNA PAGA CARO DEMAIS POR FATOS POLÍTICOS QUE A POPULAÇÃO REPUDIA COM PERPLEXIDADE

Os espocares de fogos em Ibiúna têm cumprido diversas funções como meios de comunicação. Avisam a concentração e saída de romarias, sentimento de júbilo pelas vitórias dos times do coração, celebração de festejos religiosos e…para anunciar as trocas de plantões de prefeitos, como efeito de liminares. Fontes ouvidas pela vitrine online sustentam argumentos que parecem indicar que o pipocar de estrondos sob o céu ibiunense pode voltar a qualquer momento.

Os eventos mais recentes dessa natureza ocorreram na noite do dia 3, quando Fábio Bello reassumiu a prefeitura de Ibiúna sob determinação de uma liminar monocrática assumida pelo ministro Luiz Fux, do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, cuja vigência deverá aguardar o julgamento de recurso especial interposto por Bello no mesmo TSE, o que deverá ocorrer em breve.

A outra bateria de fogos se ouviu na noite do dia 10, quando ficou conhecida a decisão do ministro Celso Mello, do Superior Tribunal Federal – STF, que negou seguimento ao recurso interposto pelo vice-prefeito Adal Marcicano visando suspender a liminar de Luiz Fux e devolver o comando da prefeitura a ele e ao prefeito Eduardo Anselmo.

Então, no meio dos foguetes e da natural euforia dos correligionários de Bello, espalhou-se a idéia de que agora o novo prefeito vai governar até o fim do atual mandato em 2016. Mas, não é o que consideram os analistas ligados ao prefeito anterior. Estes assinalam que a decisão de Celso Mello na verdade teria partido da consideração de que esse não é assunto para apreciação na esfera do STF e sim do TSE.

E dizem mais: há dois recursos no TSE do prefeito anterior: uma ação cautelar contra a medida que permitiu o retorno de Bello e um agravo regimental, com idêntico propósito. E nada impede que outros recursos jurídicos cabíveis deem entrada no TSE visando a volta de Eduardo Anselmo ao Poder Executivo ibiunense.

Na prefeitura

Esse panorama que sugere um clima de interinidade estaria influenciando a montagem do primeiro escalão do governo Fábio Bello. Essa possibilidade parece ter sido refletida em entrevista do atual prefeito que afirmou que faria as “nomeações aos poucos”.

Na cidade, vitrine online continua ouvindo os munícipes nos mais diversos cenários sociais e profissionais. Observa-se que o denominador comum é a percepção dos danos que estão sendo causados nos setores públicos no município e o preço que está sendo pago pelos munícipes por esse clima de incertezas e de paralisia administrativa. Há no ar um sentimento de repúdio e perplexidade diante dessa situação caótica (C.R.)

Comentários