EXCLUSIVO – VEREADORES IBIUNENSES SÃO UNÂNIMES: ‘SITUAÇÃO DO MUNICÍPIO É PREOCUPANTE E CAÓTICA’

Vitrine online propôs  hoje (14) a todos os vereadores de Ibiúna – quinze no total – a seguinte pergunta: “Como o senhor/senhora define o atual momento político-administrativo em Ibiúna?” As respostas parecem ter sido combinadas de tão semelhantes, mas isso não aconteceu. Refletindo o estado de ânimo da população ibiunense, seus representantes no Legislativo mostram-se extremamente desconfortados pelos fatos atuais, como se a cidade estivesse dominada pela aridez do tempo por falta de chuva.

Houve até quem dissesse: “Nós estamos sem condições de trabalhar”, referindo-se ao status do Poder Executivo local. Conheçam, a seguir, as respostas de cada um dos parlamentares.

“O momento é preocupante e requer muita prudência para que todos os setores municipais não parem de funcionar” – Pedro Luiz Ferreira (PROS).

“A população é que sai prejudicada, pois a cada ‘posse’ são renomeadas pessoas de acordo com o Executivo que entra e o ‘cabidão’ de emprego que muda e nada (departamento) funciona…e assim vai” – Paulo Sasaki (PTB).

“Fico muito preocupada com tudo isso que está acontecendo, visto que seja este ou aquele governante, precisamos melhorar em tudo, pois quem está prejudicado é povo, do qual faço parte” – Rozi Soares Machado (PV).

“Muito preocupante e quem perde com tudo isso é a população” – Jair Marmelo (PCdoB).

“Lamento essas transições, pois prejudicam muito o andamento da máquina pública e a mais prejudicada é a população” – Carlos Marques Júnior (PT).

“Preocupante! Com toda essa disputa jurídica, já que se passaram dois anos, ou seja, metade de um mandato e quase nada foi feito de concreto para o bem da população que, com certeza, é a maior prejudicada com isso tudo” – Rodrigo Lima (PCdoB).

“Situação delicada, pois não dá para fazer um ‘planejamento’ de longo prazo, ou melhor, como fazer ‘o planejamento’ com essas alternâncias de poder?” – Dalberon Arrais Matias (PPS).

“Comparo nossa situação ao caso das sacolinhas de plásticos [distribuídas em supermercados em São Paulo]. Uma hora pode, outra não pode. Numa hora é um prefeito, em outra, é outro. Não há uma definição, resta o caos” – Israel de Castro (PSDB).

“É impossível definir aquilo que está indefinido. O que vejo é o sofrimento da população ibiunense” – Odir Bastos (PSC).

“O atual problema do nosso momento político em Ibiúna é a falta de estabilidade executiva. Com todas essas transições não tem sido fácil para nossa população que sofre com ‘atrasos’ em todos os setores” – Aline Borges de Moraes (DEM).

“Para nós, vereadores, este momento é péssimo. Não temos como representar a população, não temos estabilidade no Poder Executivo” – Abel Rodrigues de Camargo (Solidariedade).

“É um momento de instabilidade e insegurança para o município, muito ruim para a população” – Luiz Carlos de Carvalho (PMDB).

“É um momento preocupante porque nós não conseguimos trabalhar por falta de uma situação definida; só há incertezas” – Devanir Cândido de Andrade (PMDB).

“Não sei mais o que responder à população. Quem está sofrendo com tudo isso é o povo. Nós não conseguimos desenvolver nosso trabalho” – Leôncio Ribeiro da Costa (PDT).

“O momento é muito delicado. Ibiúna está sendo muito prejudicada, independentemente de quem seja o prefeito. Tem que haver uma decisão o quanto antes, pois quem sofre é o povo! Estou triste com a Justiça. Todos nós estamos prejudicados” – Paulo Dias de Moraes (PR).

Comentários