FRIO VEM AÍ – INVERNO COMEÇA NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA

O inverno no Hemisfério Sul começa oficialmente na próxima segunda-feira, dia 21, aos 00:32 minutos, pelo horário de Brasília, e se estenderá até 22 de setembro, quando começa a primavera.

No outono já tivemos temperaturas bem baixas e agora já sentimos o que é mais do que um friozinho, especialmente à noite.

Então é bom se preparar para enfrentar temperaturas baixas a fim de evitar resfriados e gripes e, sobretudo, se contagiar com a covid-19 que continua crescendo, já próximo de 500 mil óbitos.

Além de agasalhos, usar máscaras faciais, desinfetar as mãos com álcool em gel, lavar bem as mãos com água e sabão e, especialmente, manter distanciamento social, evitar aglomerações em locais fechados e com pouca ventilação, um dos fortes motivos de transmissão da doença.

TEMPERATURAS EM IBIÚNA

Veja as temperaturas previstas para os próximos dias em Ibiúna, pela Climatempo:

Quinta-feira (17): mínima 9ºC – máxima 24ºC

Sexta-feira (18): mínima 9ºC – máxima 19ºC

Sábado (19): mínima 11ºC – máxima 22ºC

Domingo (20): mínima 11ºC – máxima 23ºC

Segunda-feira (21), Início do Inverno – mínima 11ºC – máxima 24ºC

Daí para a frente as mínimas oscilarão entre 13ºC e 14ºC.

DICAS DE UM PNEUMOLOGISTA

Já que vamos entrar no inverno, reproduzimos abaixo entrevista que vitrine online publicou no dia 18 de julho de 2015 com o médico pneumologista dr. Luís Eduardo Loureiro. Atualmente ele coordena o atendimento aos infectados pela covid-19 internados no Hospital Municipal de Ibiúna.

Em 2015, ele atendia no Pronto Socorro Infantil do hospital e ninguém imaginava que cinco anos depois estaríamos todos em meio a uma epidemia devastadora.

Mas os cuidados recomendados pelo médico continuam válidos para outros tipos de enfermidades que se manifestam no inverno. Cuide bem de você e de seus familiares e amigos.

O inverno é uma estação que tem sua própria beleza e leva as pessoas a procurarem o aconchego e a ficaram mais próximas umas das outras. Mas, com frio intenso, existe a necessidade de nos protegermos das doenças mais características que ocorrem nesse período. Ficamos muitas vezes em ambientes fechados, como ônibus, e com pouca circulação de ar. É justamente aí que devemos ficar alertas e adotar alguns cuidados indispensáveis.

Ficando mais próximos uns dos outros nos expomos ao risco de contaminação pelos agentes que causam as doenças do inverno, que são vírus, bactérias e fungos. Estes, devido ao agrupamento de pessoas, aproveitam para passarem de pessoa para pessoa, podendo gerar verdadeiras epidemias.

Uma dica útil é evitar aglomerações de pessoas, especialmente em ambientes fechados, mesmo que o Ministério da Saúde disponibiliza o uso de vacinas contra a gripe e pneumonia.

As doenças do inverno mais comuns são as gripes, pneumonias, amidalites, otites, faringites, laringites e bronquites. Estas podem agravar doenças que as pessoas já possuem como asma, enfisema pulmonar e muitas outras. Também tem influência quando a pessoa possui uma doença prévia como diabetes, problemas renais ou ainda do fígado.

Os quadros alérgicos são de especial atenção nesta ocasião e os mais comuns são a asma e rinite. Normalmente, relacionam-se ao tempo seco, com baixa umidade. Nesta época as partículas de poeira e de poluição ficam suspensas no ar por um tempo maior.

Algumas ações podem ser feitas para minimizar esse efeito: passar pano úmido com água para limpeza da casa, não utilizar vassoura para varrer, utilizar o aspirador, deixar uma toalha úmida no quarto. Procurar evitar o uso de produtos químicos. Também deve-se prestar atenção em relação às roupas de frio que ficam guardadas por todo o período de tempo mais quente. Estas devem ser lavadas antes de sua utilização e devem-se preferir roupas de algodão, evitando-se peças de crochê ou tricô. Também se deve preferir o uso de edredons ao uso de cobertores de lã.

É interessante também tomar cuidados com grandes variações de temperatura, saindo sempre agasalhado. A exposição ao ar frio pode predispor ao aparecimento de doenças. Evitar também exposição prolongada ao ar condicionado, quente ou frio.

Estas são algumas dicas para que todos possam passar por esta época sofrendo menos seus efeitos nocivos. Evite a automedicação procurando sempre um médico de sua confiança.

Carlos Rossini

Carlos Rossini é jornalista, sociólogo, escritor e professor universitário, tendo sido professor de jornalismo por vinte anos. Trabalhou em veículos de comunicação nas funções de repórter, redator, editor, articulista e colaborador, como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Diário Popular, entre outros. Ao transferir a revista vitrine, versão imprensa, de São Paulo para Ibiúna há alguns anos, iniciou uma nova experiência profissional, dedicando-se ao jornalismo regional, depois de cumprir uma trajetória bem-sucedida na grande imprensa brasileira. Seu primeiro livro A Coragem de Comunicar foi lançado na Bienal do Livro em São Paulo no ano 2000, pela editora Madras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *