FELIZ PÁSCOA! – A GRANDE FESTA CRISTÃ DO AMOR À VIDA

A Páscoa Cristã é uma festa cujo significado está impregnado da ideia de renascimento, de voltar à vida, ressurgir.

Jesus caminhou pela Terra espalhando mensagens de amor e paz entre as pessoas.

O novo testamento relata que Jesus foi crucificado e morreu na cruz, mas ressuscitou três dias depois, segundo os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João.

Esse fenômeno místico de voltar à vida depois da morte é uma crença com profundo sentido de que também podemos [as pessoas] renascer em nossos corações, com a renovação da esperança, da fraternidade, da amizade e da bondade.

Por isso, é uma festividade alegre que atrai felicidade em nossas vidas e dos nossos familiares. Ao desejar “Feliz Páscoa” estamos imbuídos do amor de Jesus que acompanha a humanidade há mais de dois mil anos.

A ressurreição é o triunfo de Cristo, isto é, ele se salva da morte para uma nova vida que, aliás, essa parece ser uma exigência em nosso dia a dia, desde o momento em que despertamos, nos relacionamos com os outros, e mergulhamos no sono como se morrêssemos para um novo acordar, em que o sol também renasce no horizonte.

A POSSÍVEL DOÇURA DA VIDA

Talvez não seja por acaso [ou será?] que surgiram os hábitos dos ovos de Páscoa e a figura do coelho.

O ovo a partir de um determinado momento passou a ter um sentido duplo. Além de ser um presente, simboliza uma nova vida, recordando o sepulcro de Jesus, que ressuscitou num domingo, no dia de Páscoa.

O chocolate surgiu na tradição  na Inglaterra, quando a indústria do doce começou a se desenvolver.

Na França do século XIII, os confeiteiros franceses decidiram fabricar ovos de chocolate e decorar seu interior com bombons. O hábito de consumo fez sucesso e se firmou durante o período da Páscoa, mas nem todos tinham acesso a essa iguaria, porque, já naquela época, o ovo de Páscoa era artigo muito caro.

COELHO

Há uma lenda alemã que diz que Ostara [deusa da Primavera] decidiu transformar um pássaro em coelho, mas o animal teria ficado descontente na sua nova forma e pedido para retornar à sua forma de origem. Ostara atendeu ao pedido e o pássaro, em gratidão, teria presenteado a deusa germânica com ovos coloridos, que ela distribuiu entre as crianças.  

Carlos Rossini

Carlos Rossini é jornalista, sociólogo, escritor e professor universitário, tendo sido professor de jornalismo por vinte anos. Trabalhou em veículos de comunicação nas funções de repórter, redator, editor, articulista e colaborador, como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Diário Popular, entre outros. Ao transferir a revista vitrine, versão imprensa, de São Paulo para Ibiúna há alguns anos, iniciou uma nova experiência profissional, dedicando-se ao jornalismo regional, depois de cumprir uma trajetória bem-sucedida na grande imprensa brasileira. Seu primeiro livro A Coragem de Comunicar foi lançado na Bienal do Livro em São Paulo no ano 2000, pela editora Madras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *