INFORMAÇÃO [CORRETA] TAMBÉM É “MEDICAMENTO” CONTRA A COVID-19

Informação é todo conhecimento que dá forma ao nosso agir no e com o mundo. É essencial à vida e à sobrevivência das espécies existentes no planeta, como os animais humanos. Nós.

Por isso, aplaudi uma das expressões empregadas pela médica infectologista mineira Luana Araújo, em seu depoimento perante a CPI da Covid-19, no Senado Federal, no dia 2 de junho: “Informação também é medicamento.”

Uma das conclusões de pesquisa realizada pela Universidade de Harvard abrangendo mais de 10 mil entrevistados, feita há anos, demonstrou que 85% do sucesso de qualquer empreendimento humano depende da comunicação, ou seja, das formas dos relacionamentos cujos conteúdos são exatamente as informações que circulam entre as pessoas e grupos.

Um dia antes do depoimento da Luana Araújo, compareceu perante a CPI a médica oncologista paranaense Nise Yamaguchi, defensora de primeira hora do uso da cloroquina, hidroxicloroquina e Ivermectina no tratamento da covid-19, posição repelida pela por sua sucessora na cadeira dos depoentes. Araújo disse claro e em bom tom que essas drogas são ineficazes contra o vírus, que já matou mais de 472 mil brasileiros, desde o início da pandemia.

A posição da doutora Yamaguchi foi veementemente criticada pelo médico baiano senador Otto Alencar (PSD-BA) que chegou a testar o conhecimento científico de sua colega sobre o fato de a covid-19 ser um vírus ou protozoário. “Ela não sabe responder”, comentou Alencar de forma contundente.

O senador acrescentou que a única forma de combater a doença é por meio de vacina, e não com vermífugos. Agora veja no quadro abaixo a distinção entre vírus, bactéria e protozoário, a fim de que aproveitemos para melhorar nosso conhecimento de leigos no assunto:

VACINA SIM

Ativo defensor da ciência e contrário ao negacionismo e ao tratamento precoce da covid-19, o senador amapaense Randolfe Rodrigues (Rede), líder da oposição ao governo Bolsonaro no Senado, durante uma das sessões da CPI evocou os números obtidos em dois meses de imunização na cidade paulista de Serrana, para fundamentar seus argumentos.

“A ciência salva vidas! O resultado da vacinação em massa no município de Serrana, em São Paulo, deve ser muito celebrado”, comentou Rodrigues.

Veja no quadro abaixo a eficácia e os resultados obviamente positivos da vacinação naquele município, cuja maioria da população foi vacinada para fins de estudo do tratamento:

Carlos Rossini

Carlos Rossini é jornalista, sociólogo, escritor e professor universitário, tendo sido professor de jornalismo por vinte anos. Trabalhou em veículos de comunicação nas funções de repórter, redator, editor, articulista e colaborador, como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Diário Popular, entre outros. Ao transferir a revista vitrine, versão imprensa, de São Paulo para Ibiúna há alguns anos, iniciou uma nova experiência profissional, dedicando-se ao jornalismo regional, depois de cumprir uma trajetória bem-sucedida na grande imprensa brasileira. Seu primeiro livro A Coragem de Comunicar foi lançado na Bienal do Livro em São Paulo no ano 2000, pela editora Madras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *